Como os bares mantêm as cervejas trincando
mesmo nos dias de calor quase insuportável

 

 

Os Especilistas recomendam que, para manter seu sabor inalterado, a cerveja deve ser degustada em torno de 6 graus Celsius. Mas essa é uma regra que não pegou por aqui.
Donos de bares se desdobram para servir a loirinha bem próximo de seu ponto de congelamento. E os fregueses aprovam.

Alguns sistemas são curiosos. Luiz Nozoie, que possui há 43 anos um bar com seu nome no Jardim da Saúde, utiliza uma antiga máquina de fazer sorvete como tanque para gelar as loirinhas. Ele coloca 36 garrafas dentro de um samburá (cesto para pescaria) e as mergulha de uma só vez numa solução de água e sal grosso. Numa temperatura de até 20 graus negativos, bastam quinze minutos para elas saírem lá de dentro como se estivessem no Polo Norte.
" Em dia de movimento chego a repetir a operação quase vinte vezes", diz Nozoie. 

                                                                                                                                Fabio Wright

       

                                                                       home